sábado, 27 de outubro de 2012

Gravidez: o que acontece quando a barriga não cresce!

Imagem copiada do Facebook

Quando eu falo a palavra gravidez o que vem à mente de quem lê: uma mulher com uma barriga enorme!
Sempre relacionamos palavras a imagens, entretanto as palavras nem sempre relacionam exatamente a apenas uma imagem. A palavra 'banco', por exemplo, sem nenhuma outra referência pode remeter a um banco de jardim embaixo de uma árvore numa praça ou a um banco financeiro. A imagem vai depender do foco de quem está lendo certo? Nem sempre!

Com a palavra gravidez é assim: você lê a palavra e a imagem é de uma mulher barriguda. Não tem como fugir disso, entretanto se falarmos em esperar um filho a figura associada muda? Para a maioria das pessoas não!
Quando eu digo que estou esperando mais um filho as pessoas me perguntam de quantos meses eu estou. Se eu falo que são, aproximadamente, 48 meses as pessoas mudam de assunto. Não sei, mas acham que estou debochando, entretanto eu estou esperando outro filho há aproximadamente 48 meses mesmo!

A sociedade ainda não assimilou o sentido de esperar um filho, de estar grávida do coração. Por conta disso podemos esperar nossos filhos por 3, 4, 5, 10 anos e quando eles chegam é como se tivessem aparecido por encanto, assim 'do nada'.

Vamos fazer uma analogia: gravidez biológica x gravidez do coração.
Na gravidez biológica a barriga cresce e, via de regra, dura 9 meses ou 42 semanas! Todo mundo participa, compartilha da felicidade da futura mãe, ansia pelo momento de ver a carinha do bebê, sonha com o momento de poder visitar, planeja presentes e tal. Essa é a parte social: amigos, parentes, colegas de trabalho, vizinhos, todos se envolvem com a barriga, todo mundo sempre tem algo positivo ou alguma recomendação para dar sobre o bebê e isso é legal, afinal de contas uma nova vida que chega é sempre motivo de festa. Como diz a famosa marca de fraldas: é um pequeno milagre que vem ao mundo!
A mulher grávida fica sensível pela mudança hormonal e também pela mudança real que terá em sua vida e família em poucos meses. Terá uma pessoa a mais em casa, uma pessoa totalmente dependente dela e ela passará a ter que zelar pela saúde e bem estar desta pessoa! A mulher grávida sente felicidade por estar grávida, mas conforme a barriga vai crescendo ela sente ansiedade, medos dos mais variados, tem sonhos sobre como será o seu bebê, que carinha vai ter. Tem fantasmas que povoam sua mente: como será quando chegar o momento? vai dar tudo certo? o médico estará disponível?, o hospital terá estrutura suficiente se o bebê tiver algum problema?, ele terá saúde?, terá todos os dedinhos? e se não chorar na hora que nascer? e se não me mostrarem e depois trocarem meu bebê? e se depois que chegar em casa eu não souber cuidar? e se eu não  conseguir amamentar? e se o leite for fraco? e se...e se...e se? Na cabeça de uma gestante, por mais que ela se cerque de todas as garantias e tenha certeza que está tudo certo passam todas essas perguntas e muitas outras mais.

Na gravidez do coração a barriga não cresce, o tempo de espera é indeterminado, praticamente ninguém participa da felicidade da futura mãe, pouquíssima gente se lembra que ali naquela família em algum momento vai haver uma criança nova para ser visitada. Colegas de trabalho, vizinhos, amigos e conhecidos: quase ninguém se envolve com a mãe na espera e mesmo assim, como diz a famosa marca de fraldas, este filho, assim como o biológico, é um pequeno milagre que vem ao mundo!
A grávida do coração  fica sensível também. Para ela não existem mudanças hormonais, mas as mudanças emocionais são tais e quais as da grávida biológica:  ela sabe que terá uma pessoa a mais em casa, uma pessoa totalmente dependente dela e ela passará a ter que zelar pela saúde e bem estar desta pessoa! A mulher grávida do coração sente felicidade por estar esperando um filho, e mesmo sem barriga crescendo ela sente ansiedade e medos dos mais variados, tem sonhos sobre como será o seu filho que pode não ser um bebê, tenta imaginar que carinha vai ter. Tem fantasmas que povoam sua mente, também: como será quando chegar o momento? vai dar tudo certo? o fórum ai demorar para ligar?, o abrigo estará cuidando bem da criança?, será perfeitinho? e se não gostar de mim?, e se depois que chegar em casa eu não souber cuidar? e se eu não  conseguir alimentar? e se...e se...e se? Na cabeça de uma grávida do coração, por mais que ela se cerque de todas as garantias e tenha certeza que está tudo certo passam todas essas perguntas e muitas outras mais. 

É possível perceber que existe uma diferença fisiológica grande entre a grávida biológica e a grávida do coração, entretanto na parte emocional não é muito diferente, salvo algumas peculiaridades inerentes a um estado e a outro.
Mesmo para se engravidar, seja biologicamente, seja do coração existem alguns caminhos muitos semelhantes:
- grávida biológica antes planeja o filho, para com o contraceptivo, engravida e espera.
- grávida do coração antes planeja o filho, preenche um monte de papéis, entrega no fórum e passa por processo de avaliação (fase de parar os contraceptivos e engravidar!), se habilita (engravida!) e espera.

Se por um lado na parte emocional não existe muita diferença, na parte social existe um abismo!
Uma grávida do coração não ganha um filho 'do nada'! Ela faz uma espécie de pré-natal no fórum que não é para garantir a saúde da criança e um bom parto, mas sim para terem a certeza de que ela tem saúde física e mental para ter a criança. Ela passa por uma espera tão angustiante quanto a da grávida biológica entretanto a espera dela tem prazo para começar e não tem prazo para terminar.
A grávida do coração não recebe paparicos, salvo excessões não ganha mimos para o filho e não tem muito direito de falar sobre suas ansiedades sob pena de ser taxada de obsessiva e só falar nesse assunto. Isso na melhor das hipóteses, porque se para a grávida biológica todo munto tem algo positivo para falar sobre o filho vindouro, para a grávida do coração boa parte dos conselhos são temerários!
A grávida biológica pode reduzir seu grau de ansiedade descobrindo o sexo do bebê para fazer o enxoval e o quarto, a grávida do coração sequer pode fazer enxoval a menos que tenha um perfil muito restrito, o que aumenta muito sua ansiedade.

Com essa analogia quero orientar o seguinte:
1. quando souber que uma pessoa está esperando para adotar, lembre-se que a barriga não está crescendo, mas esta pessoa está grávida emocionalmente tanto quanto uma que carrega o filho na barriga;
2. O filho recém-chegado de uma mãe do coração não surgiu 'do nada'! Ela possivelmente esperou muito mais tempo do que uma gravidez biológica regulamentar;
3. Toda grávida precisa de atenção com relação à sua espera e com a grávida do coração não é diferente.
4. A grávida do coração não é obsessiva, ela tem um grau de ansiedade um pouco maior porque sua espera é um pouco maior também;
5. Quando uma pessoa opta pela adoção ela está envolvida com a chegada de um filho e é crueldade com o seu emocional discursos preconceituosos sobre a origem da criança e seu possível futuro tenebroso. Ninguém cogita com uma grávida biológica que o filho dela pode vir a ser um marginal, um bandido, que possa matar toda a família num acesso de revolta ou de ingratidão e ninguém tem garantias que isso não vá acontecer com um biológico, nem tampouco que vá acontecer com um adotivo!
Imagem tirada do Facebook

Eu tive 3 filhos por adoção e me senti muito, mas muito sozinha durante a espera. Não pretendo entrar em detalhes a respeito, até porque a analogia por si já diz tudo, entretanto quero deixar aqui um depoimento:

Nesta última espera vivi uma grande emoção há alguns dias: uma pessoa muito querida fez um presente para minha filha que ainda é projeto.
Saber que ela fez o mimo especialmente para minha filha e que me entregou assim, sem ter um motivo como chá de bebê ou a chegada dela foi uma sensação indescritível. Já tem um tempinho e ainda me emociono com o carinho!  Vem à minha mente como esse ditado é verdadeiro: quem beija meu filho minha boca adoça.
Esta pessoa já é alguém por quem eu nutro carinho muito especial e tanto o mimo como ver os olhos dela brilhando quando falou de sua ansiedade pela chegada da minha filha certamente fez com que esse carinho especial se multiplicasse muito mais.
Um gesto que para mim significou muito e que de certa forma amenizou todas as tristezas, mágoas e lágrimas de todas as vezes que me senti sozinha na espera pelos outros filhos!
Saber que tem alguém que sonha comigo a chegada dessa criança foi algo muito bom de experimentar!

Mimo para Letícia!

Cláudia

35 comentários:

  1. Cláudia, é isso mesmo. No blog que excluí escrevi uma vez, assim, parecido.

    Um beijo!!!

    Que venha a Letícia!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que excluiu Dé. Já pensei muitas vzs em excluir o meu mas não tive coragem!

      Excluir
  2. Adorei!! Palavras claras e certeiras!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Renata. 'Gestei' este texto durante toda a semana. bjs.

      Excluir
  3. Adorei o texto.. Compartilharei com meus contatos!!!!!
    Juliana Palombo

    ResponderExcluir
  4. Nossa muito bonito seu texto! Estou na fase de juntar todos os documentos para o cadastro, mas a ansiedade já é grande, principalmente o medo de não ser aprovada nas entrevistas! Graças a Deus estou aprendendo a lidar com comentários preconceituosos e maldosos lendo muito sobre o assunto e um blog como o seu só acrescenta coisas boas! Já chorei muito e me senti sozinha e com muitas dúvidas sobre minha capacidade de entrar nessa "viagem" e embora meu marido me apoie muito, o sofrimento é inevitável! Obrigada pela coragem de postar esse texto pois assim como acalentou meu coração tenho certeza que vai servir para outras mamães!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kelly, fico feliz que meu texto tenha servido para acalentar seu coração.
      Sei exatamente a dimensão dos seus sentimentos. A gente chora mesmo, por tudo: medo de não ser aprovada, medo que demore, medo que alguma coisa dê errado, medo do preconceito que a gente sente mesmo antes do filho chegar e tantos outros que eu ficaria aqui listado até amanhã!
      Esteja certa de que apesar de ser um caminho tortuoso e longo, tem suas compensações. Vai dar tudo certo! :)
      Se quiser, pode me add no facebook e podemos conversar um pouco qdo vc estiver meio para baixo!


      Grande beijo,

      Cláudia

      Excluir
    2. Nossa muito obrigada vou adicionar sim!!! bjo

      Excluir
  5. Cláudia, me identifiquei muito com o teu texto. Estou grávida do coração há 1 ano e 1 mês e a ansiedade só aumenta. Comecei a escrever num blog chamado justamente "Gravidez Invisível" e a ideia é ter este espaço para desabafo mesmo! Segue o link, http://gravidezinvisivel.wordpress.com/seja bem-vinda! Deus abençoe você e sua família. Com amor, Luciane.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciane seja bem vinda também!
      Realmente esta é uma gravidez invisível em todos os sentidos.
      Deus abençoe vc, sua família e que sua espera seja breve!

      Grande beijo,

      Cláudia

      Excluir
  6. Claudia,
    Que texto lindo! Posso compartilhar no face?
    Bjs

    Silvia Leticia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode sim, Silvia! Eu agradeço a divulgação! :)

      Excluir
  7. Clau, sem comentarios amiga, simplesmente lindo!!!!! é exatamente isso...vc conseguiu colocar em palavras o que sentimos!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Lindo real, indescritivel. Vou compartilhar com uma pessoa que esta pensandio em adotar e esta cheia de duvidas, pra ver que tudo isso que ela sente pe normal. bjs
    Di

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Di, essas e todas as outras dúvidas são normais. Os medos também.
      Espero que o texto ajude esta pessoa a compreender o momento que está vivendo.
      É bom que ela se aproxime de pessoas que já adotaram ou que estão em processo de habilitação e aguardando na fila. Esse contato fará com que ela veja que não está sozinha nem nas angústias, nem nos medos. :)

      Beijos

      Excluir
  9. Você descreveu como nós, mamães do coração, nos sentimos...PERFEITA SUA COLOCAÇÃO.
    Não é fácil para nós, mas se tivéssemos mais apoio, mais interesse das pessoas q nos cercam, seris mais fácil suportar a espera e amenizar a ansiedade.
    Que Deus nos ajude e nos dê sabedoria e compreensão p que possamos suportar.
    Posso compartilhar esse texto em meu blog?
    Beijos querida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Darby, obrigada!
      Certamente com apoio seria tudo muito menos sofrido!
      Pode compartilhar, sim! Agradeço a divulgação!

      Grande abraço!

      Cláudia

      Excluir
  10. LINDO!!!!!!!!Amei seu post, sensacional!!!!
    obrigada pela visita, estou te seguindo, quero conhecer a fundo esta linda história!!!bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristina, obrigada pela visita.
      Fique à vontade e sinta-se em casa! :)

      Grande beijo!

      Cláudia

      Excluir
  11. Excelente texto Claudia, você conseguiu traduzir exatamente o que sentimos durante a nossa espera. Graças a Deus, tive grandes mimos durante a minha "gravidez" mas sei que na maioria das vezes e para maioria das pessoas que nos cercam não é assim que acontece. Mas divulgando textos como o seu, poderemos começar a mudar isso tbm! Vou postar no nosso blog tbm, citando a fonte. Parabéns e que seu filhinho ou sua filhinha chegue logo! Abraços, Carla

    ResponderExcluir
  12. Ah que maravilha de se ler! Você é encantadora, mãe!

    E que em breve, venha minha irmãzinha Leticia!

    Beijo!

    ResponderExcluir
  13. Simplesmente MARAVILHOSO!
    Adorei e compartilharei!
    Bênçãos e luz sobre Letícia e sua família abençoada.

    ResponderExcluir
  14. Olá Claudia! Minha primeira vez por aqui e uma emoção sem fim. Saber que no mundo existe pessoas como vc! Eu jamais havia pensado a adoção sob esta égide, e por ter uma grande amiga cuja gestação já dura dois anos, agora, graças a você, poderei ajudá-la com mais amor! Que sua Letícia venha completar ainda mais esta linda família! Beijo gd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Blog da Pandinha!

      Seja muito bem vinda.
      Qualquer coisa que precisar, que quiser tirar dúvidas para sua amiga, se eu puder ajudar, conte comigo!
      É sempre um prazer ajudar quem está nesta difícil caminhada!

      Grande beijo!

      Cláudia

      Excluir
  15. Adorei ler duas palavras e adoçaram meu coração.

    Beijos e felicidades Sempre em sua jornada.

    ResponderExcluir
  16. Adorei ler duas palavras e adoçaram meu coração.

    Beijos e felicidades Sempre em sua jornada.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Cláudia.
    Vim retribuir sua visita.
    Sou uma manteiga derretida como dizem, o seu post me deixou bem emocionada.
    É, tão singelo e reconfortante à alma saber que existem pessoas como você, que abrem o coração, as portas da vida e da casa para receber outra alminha, cuidar e ampara-la.
    Essa atitude não é para qualquer um. Exige mjita doação, desprendimento e amor.
    Que Maria Santíssima te abençoe muitooo!!!
    Também estou te seguindo, querida.
    Bom domingo!!!
    Beijokas, Rê!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras, Re.
      Amém!
      Bom domingo para vc tbm.
      bjs.

      Excluir
  18. Tomei conhecimento do seu blog pela Regina, também sou mãe de coração de um dos meus dois filhos, não há como explicar tudo o que isso implica...
    Obrigada pela partilha e muitas felicidades :)

    ResponderExcluir

Já que você chegou até aqui, por favor deixe seu recadinho. Sua visita foi muito importante e seu recadinho nos deixa ainda mais feliz! :)